[Review] PEQUENAS IGREJAS, GRANDES NEGÓCIOS – CARDGAME

RECOMENDADO PARA MAIORES DE 18 ANOS
 
6981_m
 
Pastores vendendo o voto de fieis para políticos em campanha, Padres Pedófilos, Templos suntuosos sem alvará,  vendas de terrenos no Céu, tijolinhos abençoados, água benta pela TV, rádios piratas em nome do Senhor, noivas se casando com cachorros para conseguirem bons maridos. Notícias assim circulam a todo o momento. Noticias estranhas, bizarras, mas também bastante engraçadas e é justamente neste clima de sátira e comédia que surge o novo lançamento da Daemon Editora: o bem humorado Jogo de Cartas  PEQUENAS IGREJAS, GRANDES NEGÓCIOS.
 
PIGN  (Pequenas Igrejas Grandes Negócios) é um  Cardgame de ficção científica ambientado em um mundo onde as Igrejas Evangélicas são usadas por pessoas trapaceiras e inescrupulosas para lavar dinheiro do crime, vender porcarias inúteis, explorar a boa fé de pessoas ignorantes e obter poder político; um universo muito diferente da nossa realidade, onde as Igrejas são centros comunitários de ajuda ao próximo, gerenciadas por baluartes do bom caratismo – Texto introdutório do jogo PEQUENAS IGREJAS, GRANDES NEGÓCIOS .
 
 
Pastor João e a Igreja Invisível
 
Trilha sonora oficial?! Bom gosto.

Trilha sonora oficial?! Bom gosto.

PEQUENAS IGREJAS, GRANDES NEGÓCIOS  é um jogo de cartas de 2 até 7 jogadores na versão padrão, podendo chegar até 14 jogadores com o uso das Expansões. Em PIGN cada jogador interpreta um  “Pastor” e deve com sua “Igreja”, aumentar a sua  “Reputação” e “Recursos”, enquanto tenta destruir as de seus adversários. Vence aquele que conseguir eliminar todos os demais, tornando-se o “Ungido” .
 
São sete tipos diferentes de cartas:  “Pastor”, “Igreja”, “Ataque”, “Defesa”, “Picaretagem”, “Ações” e “Investimento”
os tipos principais de cartas do jogo

os tipos principais de cartas do jogo


Sistema básico é bem simples: um jogador seleciona aleatoriamente um  “Pastor” e uma “Igreja” e combina as habilidades descritas nas cartas, devendo administrar, proteger e ampliar sua Reputação  e seus Recursos, enquanto tenta minar o de seus adversários. Para enfrentar seus oponentes, o “Pastor” utiliza uma carta de “Ataque”, que pode ser anulada com outra chamada “Defesa”. Cada ataque bem sucedido pode causar a perda de pontos de “Reputação” ou de “Recursos” para sua “Igreja”, que podem ser resgatados ou ampliados usando as Cartas de “Investimento”. Cada carta contém uma rápida descrição, pontos de Reputação, Recursos, ícones e efeitos variados que definem os rumos da partida. O numero total de cartas necessárias para se jogar varia de acordo com numero de jogadores: 90 para até seis jogadores ou 210 cartas para até 14 jogadores, ou seja, cada jogo possui um clima diferente e exclusivo, criando um efeito rotativo nas cartas presentes, gerando reviravoltas interessantes e dando ao jogo o seu aspecto estratégico, fora outras regras opcionais descritas no Manual de Regras. O verso das cartas “Pastor” e “Igreja” podem ser utilizadas como marcadores de pontos de Reputação e  Recursos, ou serem substituídas por dados (regra opcional e não inclusos). Quando uma “Igreja” perde todos os seus recursos, ela é destruída e resta ao Pastor lutar sozinho para se recuperar, correndo o risco de perder mais pontos de Reputação e quando esta é zerada, o jogador é derrotado, deixando a partida.
 
O Verso das cartas - Pastores e Igrejas também servem como marcadores

O Verso das cartas – Pastores e Igrejas também servem como marcadores

Apesar do tom um tanto jocoso, não é esta a intenção do jogo.  PIGN é um sátira bem humorada pois utiliza vários fatos, alguns bastante engraçados e outros nem tanto, a respeito das bizarrices e excentricidades das religiões. A ideia é transformar tais excentricidades em piadas e usa-las nas partidas, criando situações bem interessantes, para não dizer hilárias.
 
Exemplo: o “Apóstolo Salomão” (carta Pastor) da “Igreja Sangue de  Jezuis” (carta  Igreja), ataca o “Pastor Zangrievscky” de ter dado um bele “Chute na Santa”  (carta Ataque –  que o fará perder 1 Ponto de Reputação), mas este se defende, mandando para longe esse ataque com  “Chuta que é Macumba” (Carta de  Defesa – Desvia um Ataque para o Pastor à Esquerda ), que acaba parando no colo do grande e inocente “Pastor Arnaldo – O Homem de D&us para C@#@lh0″  que se protege com um “Tá Amarrado em Nome de  Jezuis” ( Defesa – Anula um Ataque), anulando esse inescrupuloso ataque do “Apóstolo Salomão” , já na sua vez, o “Rabino  Chiconeli” (que Pode descartar três cartas da mão para restituir um Ponto de Reputação), percebe que o bicho esta pegando para o seu lado e decide fazer um investimento e convoca uma “Ex  Piriguete Convertida”  (carta de Investimento –  Coloque na frente do Pastor. Qualquer dano feito contra o pastor será redirecionado para o Laranja) para se proteger e por ai vai .  É fortemente recomendado que os jogadores interpretem tais situações na mesa, deixando a partida ainda mais divertida.
 
IMG_20140915_244808765_HDR

Irmãos que se reconhecem…

O jogo é uma criação de  Marcelo Del Debbio, Arquiteto, autor do livro Enciclopédia de Mitologia, criador com o engenheiro Norson Botrel do Sistema Daemon – sistema genérico para jogos de Role Playing Game (RPG), autor dos RPGs Arkanun, Trevas, RPGQuest  e muitos outros, dono do site Teoria da Conspiração e sócio fundador da Daemon Editora que é a responsável pela publicação de  PIGN, Roe Mesquita, que cuidou das ilustrações e fez o impossível para terminar perto de 400 cartas do jogo em menos de 3 meses e Rodrigo Amorin Groladesigner, professor e responsável pela produção, design gráfico, logos e o criador o novo meme “Deus tá Vendo essa Zoeira
 
O jogo estava em desenvolvimento desde 2010 e passou por diversas mudanças, variando de algo próximo a um Banco Imobiliário até chegar em sua versão atual. O que faltava era o capital inicial necessário para rodar as primeiras impressões e isto levou a editora a realizar um muito bem sucedido Financiamento Coletivo através do Cartarse. O Jogo bateu todas as metas estabelecidas, obtendo além dos necessários R$ 29.000, a marca de R$ 92.750, com 592 apoiadores e mais de 1000 cópias do cardgame.
 
Outro recorde a ser batido é o tempo de espera para a entrega das primeiras caixas. O financiamento foi finalizado em Junho de 2014 e as entregas começaram em Setembro de 2014, 3 meses depois. Normalmente, os produtos adquiridos via financiamento coletivo levam quase um ano, as vezes mais, para iniciarem suas entregas. No caso de PIGN, segundo Rodrigo, o jogo poderia ter sido entregue em 2 meses, se não fosse por alguns problemas de produção que aumentaram o prazo em mais 1 mês.
 
Nasce uma estrela, digo, Meme...

Nasce uma estrela, digo, Meme…

 
O Que vem Por Ai?
 
A versão da caixa, conhecida como Módulo Básico, que entra no mercado contém um Manual de Regras, onde foram registradas os nomes dos financiadores e 120 cartas. O jogo em seu lançamento já conta com mais seis expansões opcionais: “Ou Dá ou Desce”,”Vodú  é para Jacú”, “Picaretas e  Esquisotéricos”, “Oremos”, “Satanistas de Orkutbook”, “Ateus, Graças a Deus!”  – obtidas graças ao sucesso do financiamento coletivo ao bater todas as suas metas e também o jogo extra “Encosto”, do qual falaremos posteriormente.
 
O deck "Encosto" - o 1º jogo alternativo para PIGN

O deck “Encosto” – o 1º jogo alternativo para PIGN

Os apoiadores começam a receber caixa básica contendo  180 cartas (esse acréscimo tem origem em promoções via facebook, realizadas durante o financiamento e oferecidas a todos os financiadores) mais os bônus referentes ao seu nível de investimento. Se o nível de investimento tiver sido Pastor , cada apoiador receberá 360 cartas (básicas + expansões). Já quem arriscou bancar o nível  Bispo, vai levar para casa 400 cartas. O próximo Nível, Apóstolo , além dar os benefícios no Nível Bispo, concedia ao apoiador o direito de criar o seu próprio “Pastor” e ser incluído no jogo.
 
O Interior da caixa e os espaços para todas as cartas deste lançamento

O interior da caixa e os espaços para todas as cartas deste lançamento

O acabamento das cartas são de alta qualidade, em nada devendo a cards como o Magic, por exemplo. Para melhorar a proteção das cartas, sleeves (shields ou películas, dependendo de como são chamadas em sua região) podem ser utilizadas. A Daemon Editora declarou que para os apoiadores do nível Pastor ou acima, receberão cerca de 500 sleeves para proteger suas cartas.
O Verso "Deus tá vendo essa Zoeira"

O Verso “Deus tá vendo essa Zoeira”

Paralelo a isto tudo, alguns estão recebendo a versão teste com 16 cartas e uma folha de miniaturas, integrantes do futuro projeto RPGQuest Boardgame, um novo mas já aguardado boardgame da Daemon Editora.
 
As cartas-teste e a flha de miniaturas montáveis da série Elfos negros para RPGQuest Boradgame

As cartas-teste e a folha de miniaturas montáveis da série “Elfos Negros” para RPGQuest Boradgame

 
TREVAS – O Cardgame de Horror?
 
O Sistema é simples, dinâmico e perfeitamente adaptável, permitindo a criação de novas cartas com rapidez, desde que sejam tomados os devidos cuidados quanto ao equilíbrio. Como as notícias excêntricas surgem todos os dias,  as futuras expansões não tardaram a chegar. Porem o que chama a atenção é que este sistema pode abordar outros temas, com variações mínimas de mecânica.
 
Boatos indicam que este sistema poderia gerar um novo cardgame, desta vez, focando o universo ficcional de Arkanum/Trevas, o RPG de Horror da  Daemon Editora. A estrutura principal seria a mesma, porém abordaria elementos encontrados nos livros da linha Trevas e inspirados em fatos ou histórias sobrenaturais e suspense.
 
Se for verdade, teria a Daemon Editora criado para si mesmos um terceiro sistema genérico para jogos (Sistema Daemon, Sistema RPGQuest), desta vez focados em um jogo de cartas? Isso permitiria um grande leque possibilidades.
O Convite para a Festa de Lançamento com o convidado especial Pastor Arnaldo (sim, ele tem carta)

O Convite para a Festa de Lançamento com o convidado especial Pastor Arnaldo (sim, ele tem carta)

 

 
“Quem reclama de Tim Tones, Tim Tones é.”
 
As cartas são de alta qualidade, todas com um acabamento envernizado e são ligeiramente menores que um card de Magic, que o torna compatível com qualquer sleeve que siga este padrão, existente no mercado. A caixa na versão Módulo Básico consegue abrigar todas as cartas com seus sleeves e podem ser removidas facilmente, graças a uma pequena aba de papelão que funciona como uma mini-alavanca.
 
um mecanismo simples e funcional

um mecanismo simples e funcional

A caixa possui espaço para conter todas as cartas desenvolvidas com o financiamento, ou seja, tem espaço para todas as 400 cartas e ainda assim é pequena o suficiente para ser discreta e elegante. Porém, tem uma aparência um tanto frágil demais, consequência talvez da pressa em entregar aos apoiadores o mais rápido possível e vitima dos custos de produção, que seriam bem mais elevados caso a caixa fosse um pouco mais “dura”, fora o fato de que levaria mais tempo para chegar ao mercado. Uma solução prática foi a de utilizar berços, divisórias de papelão que além de garantir espaços apropriados para as cartas, servem um com um reforço de sustentação para a caixa básica. O verso da caixa não conta com nenhuma ilustração ou comentários, indicando o que é ou como o jogo funciona e ela pode vir a sofrer ligeiros danos, como amassados ou furos, durante a fase de entregas via Correios, que não é mais aquela empresa 100% confiável nas entregas que tínhamos no passado. A Daemon Editora informou que uma nova versão da caixa já esta em estudos para futuros lançamentos e novas expansões, tudo dependendo do sucesso desta primeira edição.
 
IMG_20140915_243306697
Ainda assim, os fãs começam a se mexer e material opcional já começa a surgir.  Cussa Mitre,citado com um dos grandes apoiadores nos Créditos do Manual de Regras, anunciou o lançamento de um Box de Madeira feito pela A Runeboa Artesanato, para abrigar as cartas. Foi dito que esta caixa consegue guardar até  650 cartas com os sleeves protetores, ou seja, esta pronta para caber muitas futuras expansões e se encontra a venda para encomendas a um preço um pouco salgado, mas justo se levar em conta de ser um produto artesanal.
10421611_720187044702583_7753544491447680253_n

O interior do Box de madeira para PIGN – fonte: A Runeboa

                                                                                                                                                                                        
10376922_720187178035903_3265212969230879894_n
                                    
Rodrigo Grola deixou no site Socyety6, artes oficiais de sua autoria que poderão ser adquiridas e utilizadas para diversos outros produtos, como camisetas, posteres, etc Uma pasta personalizada para a guardas as cartas é um possibilidade não muito distante.
 
Precisa mesmo de um comentário?

Precisa mesmo de um comentário?

Ficou claro que a intenção era a de produzir o maior numero de cartas possíveis e entregar o mais rápido possível, pois assim o jogo entraria no mercado antes do Natal, o que daria tempo para corrigir possíveis falhas e ouvir as criticas e sugestões. Por outro lado, talvez com um pouco menos de pressa e se tivessem dado um pouco mais de tempo, o jogo poderia ter recebido um acabamento final melhor nas embalagens. Cada deck vem embalado plastificado, mas as expansões nesta versão não vêm em caixinhas separadas, exceto por Encosto , que apenas os Bispos ou aqueles que o escolheram como adicional na loja virtual Loja de RPG em sua pré-venda irão receber. Entretanto isso não chega a ser um grande problema, visto que ao jogar, todas serão obviamente embaralhadas e cada carta tem sim uma identificação sobre a qual expansão pertence e sua numeração geral, conforme explica o manual de regras. Faço este comentário visando apenas para fins de coleção.
 
Voltando ao assunto da pressa, apesar dos esforços, muitas reclamações a respeito dos prazos e códigos de rastreio andam surgindo. Os códigos estão sendo enviados e a ordem de recebimento será feita de acordo com a data de quando apoiador fez o seu financiamento. Ou seja, quem colaborou primeiro, recebe primeiro ou terá o seu pedido postado primeiro. Ou pelo menos era esta a intenção original. Uma alternativa seria a de buscar o jogo diretamente na editora, marcando um horário para assim receber seu PIGN. Muitas edições dos jogos que estão circulando nas redes sociais utilizaram este recurso. Eu mesmo precisei recorrer a isto, e tive que percorrer quase 100 km de distancia para chegar à Daemon Editora, caso contrario iria esperar bastante, pois fui um dos últimos a fechar o apoio. Não considerem isto como pular a fila, pois este é para quem faz este tipo de trabalho via financiamento coletivo, um método honesto e prático de entregar o mais rápido possível e poupar um pouco com as taxas de envios, pois a maioria receberá o seu PIGN com frete gratuito.
 
IMG_20140915_244524988_HDR
Já o grande calo no sapato do jogo é exatamente o tema que aborda, pois falar de religião nunca é algo fácil de fazer e é um assunto evitado sempre que possível neste tipo de jogo. PIGN  não é uma critica a religião necessariamente, mas faz uma pesada sátira as excentricidades que existem nas religiões. As notas de cada carta foram pesquisadas e tem origem em noticias publicadas pela imprensa em todo o mundo, o que pode gerar certos incômodos para os mais fiéis. Durante a fase de Financiamento, alguns religiosos evangélicos alegaram que o autor seria um Maçom que estaria tentando destruir a credibilidade da religião cristã, dentre outras acusações, enquanto outros entenderam o recado e de certa forma compreendem o problema cujos efeitos estão descritos nas cartas. Embora o cristianismo seja a religião mais comentada, não é a única e nem tão pouco os evangélicos são exclusivos, pois padres, rabinos e lideres de seitas dos mais diferentes tipos e origens, ou seja, os mais variados tipos de Aproveitadores da Fé são citados e ridicularizados, o que nos faz lembrar que este é um jogo de humor e não um simulador religioso.
Uma das "seitas"...

Uma das “seitas”…

Existe uma carta satirizando a Maçonaria, incluindo uma que seleciona um Templo Maçom como “Igreja”. Muitas das piadas descritas são fatos, muitas e muitas vezes aplicados por Pastores Midiáticos, Lideres que propagam a Teologia da Prosperidade, mas que o faz somente em proveito próprio e o jogo não é o primeiro a fazer pensar e refletir sobre a questão. Ainda assim, algumas cartas podem ter pegado um pouco pesado demais, pois citam casos como aborto, estupro e outros eventos ainda mais abomináveis como piadas que podem ser encaradas como humor negro. E que fique bem claro: o jogo não incentiva ou apoia tais praticas apenas as satiriza, mas ainda assim é recomendado que tais cartas saiam do jogo, caso ofendam ou contrariem suas convicções pessoais.
 
As cartas exclusivas de "Encosto"

As cartas exclusivas de “Encosto”

O jogo não é, mas pode ser encarado como uma critica não á Palavra, á Textos Sagrados ou convicções puras de fiéis, mas sim, para aqueles que a utilizam ou interpretam de forma incorreta ou falsamente.
 
Só para citar alguns exemplos, temos o filme de  Steve Martin – FÉ DEMAIS NÃO CHEIRA BEM (1992) – onde interpreta o reverendo picareta Jonas Nightengale que aplicava golpes em fiéis com shows itinerantes de cultos religiosos; Tim Tones, criação do humorista  Chico Anísio que em 1984 fez sátira ao religioso  Jim Jones, um influente líder religioso norte-americano que foi responsável pelo suicídio coletivo de mais 900 membros de sua seita em Jonestown (1978) e literalmente representa todos os Televangelistas que surgiram e que continuam existindo por mais de 30 anos. Finalmente, temos Raul Seixas e  Marcelo Nova em seu ultimo disco – A Panela do Diabo (1989) – com a musica Pastor João e a Igreja Invisível que é literalmente, um resumo de todo o tema e objetivo do jogo.
 
O jogo não esta disponível, pelo menos por enquanto, em lojas de brinquedos, grandes magazines e livrarias ou mesmo em lojas especializadas na venda de boardgames, podendo ser obtido somente através da Loja de RPG.
 
 
Podem Passar a Sacolinha!!!
IMG_20140918_151550932
 
PIGN – PEQUENAS IGREJAS, GRANDES NEGÓCIOS  é um jogo fácil de aprender e rápido. Apesar das polemicas em que pode se envolver, é um jogo divertido, engraçado e acima de tudo corajoso. Não é recomendado para quem não tem senso de humor e nada do que está descrito em suas cartas deve ser levados a sério, exceto é claro, pelo desejo dos jogadores em vencer a partida.
 
Ele começou a ser vendido oficialmente pela loja virtual da  Deamon Editora  – Loja de RPG a partir do dia 15 de Setembro de 2014 ao custo promocional de R$75,00 para o Módulo Básico (120 cartas), R$25,00 para cada suplemento/Expansão ou R$200,00 para o Kit Bispo (360 cartas) e ter tudo de uma unica vez.
 
O Box de Madeira (não oficial) pode ser obtido com valores entre R$90,00 a $140,00 através da pagina no Facebook da empresa A Runeboa.
 
Arts oficiais com os logos do “Pastor” e do “Deus tá vendo essa Zoeira”, podem ser adquiridas atrave´s do site Society6
 
PIGN   PEQUENAS IGREJAS, GRANDES NEGÓCIOS  é uma criação de Marcelo Del DebbioRoe Mesquita e Rodrigo Amorin Grola. O  PIGN contou o apoio de Raphael “PH” Alves, Norson Botrel, Cussa  Mitre, Priscila Martinelli, Ludus Luderia e mais 592 bravos irmãos que acreditaram no projeto.
 
Maiores informações podem ser obtidas através do portal  Redomanet que esta fazendo uma avaliação do jogo, com comentários de seus usuários ou no site da Daemon Editora ou pelas redes sociais: Facebook –  https://www.facebook.com/pigncardgame
 
Bom divertimento Irmãos.
 
Adriano “Mestre Mágico” Cleber Tume.
A família reunida...

A família reunida…

Anúncios

Runicards está chegando – Update 4

Falta pouco para o Runicards, o Cardgame Cooperativo nacional chegar ás prateleiras.

DIARIO04_1

Em sua ultima atualização, a Kalango Analógico anuncia as novidades sobre o jogo. Para começar, serão 8 decks com 55 cartas cada, cada uma seguindo as dimensões estilo “Bridge” – 57×89 mm.

E para fechar, os cards estão sendo impressos em uma das melhores empresas, especialistas em cartas e cards nacionais: a COPAG.

O lançamento de Runicards irá ocorrer durante a World RPG FEST, em Curitiba nos dias 27 e 28 de Julho. Durante este período, as versões que os financiadores deverão receber, serão enviada pelos correiros até o dia 25 de julho.

Fonte: Catarse

Mestre Mágico

Cloud em Lightning Returns?

Que Final Fantasy XIII – Lightning Returns é um jogo curiosamente aguardado, disto não resta mais duvidas, mas isto é crueldade.

Para quem adquirir o jogo na pré-venda, pode garantir uma nova roupa para a Lightning, roupa esta que é nada mais nada menos que a do CLOUD, o herói de Final Fantasy VII

 

ku-xlarge

 

Se você, assim como eu ficou empolgado com isto, não deixe passar esta chance. Mais informações aqui.

 

Mestre Mágico.

 

 

 

Dungeons & Dragons Online Planejamento de Personagem

Para quem ainda gosta de Dungeons & Dragons 3.5 e esta em busca de um gerador de personagens confíavel, o portal Dungeons & Dragons Online Brasil esta disponibilizando um programa bem interessante.

Dungeons & Dragons Online Planejamento de Personagem

Com este gerador é possível registar todos os dados importantes que constam da ficha de personagens, o que inclui um sistema gerador de atributos baseado em pontos e não nos famigerados rolamentos de dados. Os demais itens, como Raça, Classe, Talentos, Pericias e Habilidades Especiais também estão presentes, com uma rápida descrição das regras. É possível inclusive complementar o personagem com equipamentos comuns ou especiais, como itens mágicos incrívelmente poderosos, uma tentação e um alerta para os Mestres a possíveis abusos de seus players.

Uma vez pronto o personagem, é possível imprimi-lo diretamente em uma impressora ou em formato Documento XPS.

O programa Dungeons & Dragons Online Planejamento de Personagem pode ser baixado diretamente no site da Dungeons & Dragons Online Brasil, clicando aqui.

Mestre Mágico

Lodoss, A Ilha Amaldiçoada – para Old Dragon RPG

 

Foi lançado em formato netbook, o livro Lodoss, A Ilha Amaldiçoada, escrito e adaptado por Bruno Sakai da obra original “Record of the Lodoss War”, para o sistema Old Dragon.

O livro de 81 páginas, conta detalhes da história da animação – OVA e a série de TV: Chronicle of the Heroic Knight – que por sua vez ja é uma adaptação do RPG e livros escritos por Ryo Mizuno, obra que se tornou consagrada em todo o mundo. Além da passagem da história, o livro conta com uma rápida descrição com o histórico dos personagens principais e um resumo descritivo dos reinos, vilas e cidades principais apresentadas nos livros e mangás de Record of the Lodoss War.

Como adaptação, o livro segue o padrão “Capa Marrom”, padrão utilizado para representar cenários e ambientações para o jogo Old Dragon, da Red Box Editora. Para utiliza-lo, é necessário o Old Dragon RPG ou sua versão Old Dragon Fast Play, ambos disponíveis no site da Editora. Além do livro básico, foi lançado também seu primeiro suplemento “Tesouros e Dragões”, que trás a descrição os principais artefatos e dos Dragões Anciôes, existentes em Lodoss.

O livro Lodoss, A Ilha Amaldiçoada, pode ser baixado gratuitamente no blog Homeless Dragon, no link abaixo.

http://homelessdragon.blogspot.com.br/2012/09/lodoss-ilha-amaldicoada.html

Mestre Mágico

Grupo Trevas RPG no Facebook – Reformulando os Sistemas Daemon e RPGQuest

Se voce curte jogar RPG e gosta do Sistema Daemon e RPGQuest, entre no grupo Trevas RPG no Facebook e participe das discussões.

A todo o instante, surge uma nova opinião sobre a reformulação dos sistemas da Daemon Editora e a RPGWiki, onde é possivel encontrar todas as alterações e atualizações do sugeridas pelos usuários e que passam a valer em caráter oficial para todos os produtos da linha.

Visite o grupo Trevas RPG no Facebook e participe. As Guerras entre a Luz e as Trevas ainda estão longe de terminar…

[Evento] Shinobi Spirts 2009

RPG Magazine #06

A RPG Magazine chegou em sua sexta edição!

Nesta você vai ver:
Zelda (raças e talentos do game).(d20/OGL)
Rancho Path of the Skinwalker, o local mais bizarro da Terra.(d20/OGL, Storyteller, Trevas/Arkanum e Invasão)
Garotas no RPG
NPCs Fast Food – Peça pelo número!
Traços para personagens (d20/OGL)
…e muito mais!

Não perca!

http://www.4shared. com/file/ 155878256/ d511661c/ RM6.html

É de graça!

Fonte: Orc Stronghold

Começa o Mundial “Magic – The Gathering” 20098

Começa o Mundial de Magic 2009, o mais importante evento de Magic da temporada, que nesse ano está sendo realizado em Roma na Itália.

Nossa seleção é representada pelo Paulo “PV” Vitor Damo da Rosa , atualmente melhor jogador brasileiro com reconhecimento internacional,  Carlos “Jabaiano” Romão , nosso Campeão Mundial de 2002, e Aristides Câmara que está pela primeira vez na seleção.

Ano passado o PV chegou até a 5ª colocação enquanto o Brasil mesmo tendo terminado a primeira parte do Mundial em 1º lugar acabou perdendo para a Austrália na semifinal.

Fora a seleção outros 8 brasileiros estão também competindo:  Rafael Coqueiro , Luiz Oliveira , Romolo Disconzi , Daniel Almeida , Allison Abe , Luis Michielli , Paulo Cortez , e Willy Edel . Somando um total de 11 competidores brasileiros no Mundial desse ano.

Estamos todos na torcida novamente para quem sabe pela segunda vez trazer o caneco para casa.

Caso queiram acompanhar a cobertura do Mundial 2009, segue o link direto da página da Wizards. clique aqui

Fonte: Recado Devir

RPG Quest Mecha – Viper MKI – Battlestar Galactica

RPG QUEST
VIPER
CAÇA INTERCEPTADOR DE SUPERIORIDADE AERO-ESPACIAL
BATTLESTAR GALACTICA (TOS – 1978)

O VIPER VERSÃO SÉRIE ORIGINAL

“…Lutando pela sobrevivência num local longínquo, entre as estrelas..”

bgtos_viper1-schematic16

O Viper, ao lado das Battlestars (Astronaves de Combate ou Naves de Guerra), é a principal linha de defesa das 12 Colonias de Kobol. É ele quem se lança ao combate direto e foi o principal responsável pela sobrevivência da Raça Humana durante as Guerras Cylon e atualmente durante a busca pelo “brilhante planeta conhecido como Terra”.

Ele é um caça espacial interceptador de um tripulante, com 9 metros de comprimento. É impulsionado por 3 propulsores de detonação de Tylium que lhe conferem uma alta capacidade de aceleração e velocidade sub-luz. Além das ações espaciais, o Viper também é capacitado para operações atmosféricas, como vôos e aterrissagens. Estas naves são extremamente ágeis no espaço utilizando-se de potentes thrusters espalhados pela fuselagem e graças a isto, ele pode reverter de imediato e abruptamente sua direção, uma habilidade de grande utilidade em situações de batalha. O casco construído de “Magma”, um metal de grande resistência e dureza, dispensa o uso de escudos defletores.

Eles são um pouco menores que os caças cylon, mas igualmente armados e muito mais rápidos e ágeis. Dois canhões-laser de carbono sintético estão dispostos ao longo de cada lado da fuselagem, exatamente abaixo do cockpit, destacando-se à frente das asas. Eventualmente, o Viper ainda pode ser equipado com torpedos de alto impacto de “Solenite”. O cockpit é revestido por uma carlinga de Solium, material extremamente resistente, transparente e impermeável a inúmeros de tipos de radiações nocivas aos humanóides. O cockpit é ainda equipado com um eficiente e seguro casulo de ejeção, para as situações de emergência.

Os hangares das Battlestars garantem aos Vipers um completo e eficiente serviço de manutenção e reabastecimento, algumas destas naves de guerra possuem suporte suficiente para até reconstruir um Viper destruído ou desenvolver um novo protótipo. Um Viper pode ser rapidamente ejetado ao espaço por um dos tubos de lançamento, distribuídos ao longo do exterior dos hangares. Para reentrar na nave-mãe, os pequenos Vipers aproximam-se por trás de um dos hangares e mergulham pelas portas de entrada, que também são utilizados para saída e entrada de veículos auxiliares, como Cargueiros e Transportadores Espaciais.

Além das funções de interceptadores, os Vipers podem atuar como naves batedoras em missões de exploração e como escoltas a naves de transporte. O Viper pode ser reconfigurado com a instalação e troca de dispositivos necessários para realizar as mais diversas tarefas. Cada Viper Possi uma autonomia máxima de 5 dias de operação antes de recarregar, esta autonomia cai dependendo do numero de vezes em que os Turbo-Propulsores são acionados a cada missão. Em caso de quedas ou de longas permanências durante as missões, um Viper padrão possui suprimentos de sobrevivência para 1 piloto por uma semana, além de um sistema criogênico de emergência, que mantém o piloto em animação suspensa por até duas semanas.

Os pilotos destes caças são denominados “Guerreiros Coloniais”, formados pela Academia de Cáprica, onde recebem ensinamentos de vôo e batalha, além de lições de vida e fundamentos de diplomacia e arte. Cada Battlestar possui de um a dois esquadrões e carregam consigo um símbolo próprio, representando o esquadrão, nave e o mundo pelo qual lutam. Estes símbolos estão ornamentados no topo de seus capacetes, que lembram uma máscara egípcia.

O VIPER VERSÃO RE-IMAGINED SERIES.

O Viper na nova versão da série (Battlestar Galáctica Miniseries, 2003 – Re-imagined Series, 2004) foi o primeiro da Série MK, desenvolvido a partir do protótipo MK 0 (Battlestar Galáctica – The Game, Playstation 2/Xbox).

Desenvolvido por Engenheiros de Caprica, este caça entrou em serviço no inicio das Guerras Cylon e é reconhecido publicamente como o pai de todos os Vipers existentes. Conhecido com a alcunha de Viper MK I, foi utilizado largamente contra os Cylon Raiders nos primeiros confrontos, servindo a bordo das Astronaves de Combate como força de Ataque/Defesa primaria. Durante a guerra, mostrou ser um caça extremamente ágil, mas de baixo poder de fogo. Posteriormente, recebeu novos aprimoramentos em seus sistemas de armas, sensores e na aerodinâmica, dando origem à versão MK II que se tornou um verdadeiro herói de guerra. O Viper MK I ainda continuaria em serviço após a guerra, porém com o surgimento dos Vipers MK II, foram substituídos e relegados a esquadrões de reserva. A maioria dos poucos caças ainda na ativa, sofreram reformas tão profundas que deram origem a mais um novo modelo: o Viper MK IV.

O Viper MK I foi descomissionado e desapareceu da Frota Colonial após o Holocausto. Pouquíssimos deles, os que não foram reformados para MK IV, podiam ser encontrados em posse de particulares e grupos militares independentes (e ilegais). Um único exemplar original poderia ser visto na Nave-Museu Galáctica, antes da queda das 12 Colonias.

Nome: VIPER
Série: Battlestar Galactica – The Original Series (TOS)
Modelo: Viper (MK I em RMD);
Conceito: Caça Espacial;
Classe: Interceptador Espacial (Cruzador);
Filiação: Frota Colonial
Dimensões: Comprimento – 9m, Largura – 6m, Altura – 4m;
Tipo de Tonelagem: Leve;
Peso: 14 tons
Tripulantes: 01 Piloto;

Atributos: FR +0, CON +2, DEX +0, AGI +3, INT -, WILL -, PER +1, CAR -;
Deslocamento*: 12 +AGI*;
Manobrabilidade: Espaço/Atmosférico [Bom].
Defesa Básica*: 11
PV: 10;
IP Inicial: 3;
Habilidades Especiais:
– Turbo * – Pode percorrer até o dobro do seu deslocamento permitido por turno;
– Vôo Maior – Possui a capacidade de entrar e sair de órbitas planetárias;
– Mecha Espacial – [Ótimo] Foi projetado e possui todos os equipamentos básicos necessários para permanência no espaço;
Armamento (4 slots):
– 2 Canhões Turbo-Lasers +2 [Bom] – Dano: 2d3+3, Alcance: 15;
– 2 Torpedos Solenite +1 [Bom] – Dano: 1d6+3, Alcance 20, Teleguiado;
Escala de Dano: x10 – PVs, danos e blindagem são multiplicados por 10 contra alvos de Escala x01 e x100.
Resfriadores: 15
Autonomia: 5 Dias.

*Observações:
– Regras Opcionais: A escala de deslocamento e alcance das armas para cada quadrado no ar é de 150m e no espaço 1.500m; O bônus de AGI pode ser somado ao Deslocamento. Seu valor de deslocamento aéreo é igual ao seu deslocamento no espaço, guardadas as devidas proporções e circunstancias.
– O Turbo pode ser acionado apenas para aproximação ou fuga, durante os combates. Uma nave que acionar o Turbo não pode atacar ou se defender até que toda a distancia seja percorrida. Atacantes que tentarem alvejar uma nave com Turbo, sofrem uma penalidade de -3 em suas Jogadas de Ataque. Cada vez que o Turbo é acionado, ele reduz em um dia a autonomia de operação da nave (não afeta Sistema Criogênico de Emergência). Ele pode ser acionado Bônus de CON vezes por combate.
– Para se obter a Defesa Final, deve-se somar a Defesa Básica ao bônus da perícia Pilotagem e dividir o resultado por 2.
– Existe uma versão para dois tripulantes. Esta versão possui os mesmos dados da versão de um tripulante. Para aventuras ambientadas na versão Galáctica 80, O Viper pode adquirir a Habilidade Especial: Invisibilidade, que funciona apenas quando este pousa na Terra.
– Se o Caça perder 1/3 de seus pontos de vida, os testes de pilotagem e ataque sofrerão uma penalidade de -1 e seu deslocamento será reduzido em 1/3. Se os pontos de Vida caírem pela metade, todos os testes sofrem um redutor de -3 e o deslocamento caíra pela metade. Todas as penalidades continuam valendo até que o caça seja reparado, levando 30 minutos para cada 2PVs recuperados.

Novas Habilidades para Maquinas

Mecha Espacial:
Custo: 2 Pontos
Referência: Mecha Espacial (Autonomia)
O Mecha (ou Máquina) foi projetado e possui todos os equipamentos básicos necessários para permanência no espaço, seja em curta ou longa duração.

Se o Mecha com esta habilidade possuir também a Habilidade Vôo, ele poderá descer e se locomover em planetas, mas não poderá sair delas (entrar em órbita) sem algum tipo de auxilio (propulsores, a bordo de outras naves, etc) ou a Habilidade Vôo Maior. Caso contrario, só poderá atuar exclusivamente em ambientes de gravidade zero. O Deslocamento de uma Maquina no espaço é igual ao seu valor de Deslocamento Terrestre ou de Vôo. Como Regra Opcional, O bônus de AGI pode ser somado ao Deslocamento.

A Autonomia do Mecha no Espaço, antes de reabastecer é igual ao bônus de Graduação + CON vezes o tempo relacionado ao Tipo de Tonelagem: Horas para Máquinas Super Leves, Dias para Máquinas Leves, Meses para Máquinas Médias, Anos para Máquinas Pesadas.

Observação: Aventuras que sejam ambientadas apenas no espaço, podem ignorar esta Habilidade, presumindo que todos os Mechas já a possuam. Para saber a velocidade exata da Maquina no Espaço, multiplique o Deslocamento pela escala de velocidade da aventura. EX: Cada Quadrado no espaço equivale a 1500m ou km/s. O mestre deve escolher qual melhor se aplica a sua aventura.

Sistema de Reconhecimento.
Custo: 2 pontos
Referência: Sistema de Reconhecimento
O Viper foi adaptado para cumprir missões de reconhecimento, tendo seus sensores e velocidade ampliados. O Viper ganha um Bônus de +1 na Agilidade e +1 na Percepção.

Sistema C.O.R.A.
Custo: 5 Pontos
Referência: Sistema C.O.R.A.
O caça recebe um novo dispositivo em seu computador de bordo, o Sistema C.O.R.A. – Computer Oral Response Activated. Este dispositivo confere um tipo de inteligência artificial, tornando-o capaz de guiar-se sozinho e interagir com o piloto, dando-lhe distração e um sentimento de companhia durante missões de reconhecimento de longas durações.

O caça recebe um Bônus de +1 na DEX, +1 na AGI, +1 na PER e um bônus de +1 na INT, podendo agora gastar pontos nos atributos INT, WILL e CAR, como se fosse um Mecha Senciente. Na pratica, o Viper se torna senciente, mas totalmente sob o comando do Piloto e não pode evoluir por si só, ou seja, não recebe Pontos de XP. A autonomia e os suprimentos também são duplicados. C.O.R.A. pode pilotar a si mesma com Pilotagem [Normal].

Por causa da inclusão destes equipamentos e para compensar a falta de espaço, o Viper perde 4 Slots de armas, ou seja, seus canhões lasers são desativados. O padrão de Voz de C.O.R.A. deve ser definido no momento em que a Habilidade é escolhida, o padrão comum é uma voz sensual feminina.

Recomenda-se utilizar esta Habilidade apenas em campanhas ambientadas no Universo T.O.S. Esta Habilidade não possui Graduação.

Agradecimentos e Fontes:

          Fanzine Star Fleet #06 – Luis Roberto M. Mundel & Alex Hosokawa Griman, pela base do texto.

          RPGQuest Mechas Netbook – André Mousinho & Ingo Muller. Pelas regras de Mechas para RPG Quest

          Battlestar Wikihttp://pt.wikipedia.org/wiki/Battlestar_Galactica.

          Battlestar Galactica D20 (Netbook/Não Oficial) – Bill Canavan, Sean Little, Mark T.Hrisho.

          Battlestar Galactica RPG (Oficial) – Jamie Chambers, James Davenport, Sean Everette, Patrick Kapera, Nathan Rockwood, Floyd C. Wesel – Margaret Weis Productions Ltd.

          Kitsune´s Home Page – http://www.kitsune.addr.com/

Até.

Adriano “Mágico” Cleber
mestremagico@gmail.com

Esta é uma adaptação livre e extra-oficial. Por nenhuma razão este trabalho foi desenvolvido buscando comprometer os direitos autorais de seus criadores e também não tem a intenção em ser uma obra definitiva. Este trabalho esta livre para ser alterado, de acordo com a preferência e permissão do Mestre.

RPQ QUEST é uma marca registrada da Daemon Editora.
Battlestar Galactica is copyright © Universal Pictures.
All rights reserved.