Gundam Seed – Episódio 02

[videolog 508936]

Até.

Anúncios

Daybreak’s Bell – L’Arc~en~Ciel – Tema de Gundam 00

Nee konna katachi no deai shika nakatta no? Kanashii ne
Anata ni shindemo ayamete hoshiku mo nai onegai
Unmei sae nomikomade shizumisouna umi e to

Negai yo kaze ni notte yoake no kane wo narase yo
Tori no you ni My wishes over their airspace
Musuu no nami wo koe Asu en tachimukau anata wo
mamoritamae My life I trade in for your pain
Arasoi yo tomare!

Nee hito wa doushite kurikaeshi ayamachi wo kasaneteku?
Shinka shinai dare ni mo nagareru kono chi ga daikirai
Honnou de sabakiau dare no demo nai daichi de

Sumiwataru mirai ga kita nara kusabana mo
Find More lyrics at http://www.sweetslyrics.com
heiki ni yadoru darou My wishes over their airspace
Dare ga yuriokoshite warui yume kara samashite yo
Kanau no nara My life I trade in for your pain
Dore dake inoreba ten ni todoku?

Ima asayake ga unabarato watashi wo utsusu

Negai yo kaze ni notte yoake no kane wo narase yo
Tori no you ni My wishes over their airspace
Musuu no nami wo koe Asu e tachimukau anata wo
mamoritamae My life I trade in for your pain
Furimukazu habatake kono omoi wo hakonde ano sora wo tondeku
Mirai wa dare ni mo uchiotosenai

Até.

Optimus Prime Gattai Formation – Journey Through the Decade (of Convoys) AMV

Gattai é o nome que se dá para aquelas uniões de veículos, peças ou robôs nas animações, revistas ou filmes sobre Mechas (que para mim não significa necessariamente Robôs Gigantes).

Pessoalmente falando, adoro assistir a este tipo de formação nas animações, onde os robôs se juntam para formar um maior e mais poderoso. Adoro fazer isto em jogos de RPG e deixar o mestre com os cabelos em pé, visto que o poder dos mechas sobe assustadoramente.

Mas voltando ao assunto, no vídeo de hoje, temos uma apresentação especial sobre as formações Gattai do grande Líder Optimus Prime e suas várias formações ao longo das séries em que surgiu nas versões Japonesas (Transformers Revenge of the Fallen, Transformers Armada, Transformers Energon, Transformers Cybertron, Transformers Galaxy Force, Unicron Trilogy, Masterforce, Car Robots, RID, Trnasformers – A Nova Geração).

O vídeo foi feito como uma homenagem ao personagem Jet Convoy (aliás, para quem não sabe, Convoy é o nome original de Optimus Prime no Japão) – ou Jet Optimus, a fusão de Optimus Prime com o Jetfire no filme Transformers – A Vingança dos Derrotados.

A musica do vídeo é o tema de abertura Journey Trought the Decade, de Kamen Rider Decade.

Esta é a minha homenagem ao mais foda dos Autobots e meu herói favorito.

– Para cima deles Líder.

Macross Frontier – Episódio 01

[videolog 497133]

Gundam em Escala Real – 18m

Japoneses constroem robô de 18 metros para celebrar aniversário de animê

Réplica de herói da série ‘Gundam’ está sendo montada em parque.
Estátua também promoverá candidatura de Tóquio às Olimpíadas.

Do G1, com informações da AFP

 

Foto: Yoshikazu Tsuno/AFP

Japoneses observam estátua de 18 metros do robô do desenho ‘Gundam’, em Tóquio. Ainda em construção, a réplica gigante do herói do animê deve ser concluída no próximo mês para as comemorações dos 30 anos do seriado e para promover a candidatura de Tóquio para as Olimpíadas de 2016. (Foto: Yoshikazu Tsuno/AFP)

 Isto sim é que é Homenagem. Maiores informações acessem: Guanabara.Info

Fonte: G1

RPG Quest Mecha – Viper MKI – Battlestar Galactica

RPG QUEST
VIPER
CAÇA INTERCEPTADOR DE SUPERIORIDADE AERO-ESPACIAL
BATTLESTAR GALACTICA (TOS – 1978)

O VIPER VERSÃO SÉRIE ORIGINAL

“…Lutando pela sobrevivência num local longínquo, entre as estrelas..”

bgtos_viper1-schematic16

O Viper, ao lado das Battlestars (Astronaves de Combate ou Naves de Guerra), é a principal linha de defesa das 12 Colonias de Kobol. É ele quem se lança ao combate direto e foi o principal responsável pela sobrevivência da Raça Humana durante as Guerras Cylon e atualmente durante a busca pelo “brilhante planeta conhecido como Terra”.

Ele é um caça espacial interceptador de um tripulante, com 9 metros de comprimento. É impulsionado por 3 propulsores de detonação de Tylium que lhe conferem uma alta capacidade de aceleração e velocidade sub-luz. Além das ações espaciais, o Viper também é capacitado para operações atmosféricas, como vôos e aterrissagens. Estas naves são extremamente ágeis no espaço utilizando-se de potentes thrusters espalhados pela fuselagem e graças a isto, ele pode reverter de imediato e abruptamente sua direção, uma habilidade de grande utilidade em situações de batalha. O casco construído de “Magma”, um metal de grande resistência e dureza, dispensa o uso de escudos defletores.

Eles são um pouco menores que os caças cylon, mas igualmente armados e muito mais rápidos e ágeis. Dois canhões-laser de carbono sintético estão dispostos ao longo de cada lado da fuselagem, exatamente abaixo do cockpit, destacando-se à frente das asas. Eventualmente, o Viper ainda pode ser equipado com torpedos de alto impacto de “Solenite”. O cockpit é revestido por uma carlinga de Solium, material extremamente resistente, transparente e impermeável a inúmeros de tipos de radiações nocivas aos humanóides. O cockpit é ainda equipado com um eficiente e seguro casulo de ejeção, para as situações de emergência.

Os hangares das Battlestars garantem aos Vipers um completo e eficiente serviço de manutenção e reabastecimento, algumas destas naves de guerra possuem suporte suficiente para até reconstruir um Viper destruído ou desenvolver um novo protótipo. Um Viper pode ser rapidamente ejetado ao espaço por um dos tubos de lançamento, distribuídos ao longo do exterior dos hangares. Para reentrar na nave-mãe, os pequenos Vipers aproximam-se por trás de um dos hangares e mergulham pelas portas de entrada, que também são utilizados para saída e entrada de veículos auxiliares, como Cargueiros e Transportadores Espaciais.

Além das funções de interceptadores, os Vipers podem atuar como naves batedoras em missões de exploração e como escoltas a naves de transporte. O Viper pode ser reconfigurado com a instalação e troca de dispositivos necessários para realizar as mais diversas tarefas. Cada Viper Possi uma autonomia máxima de 5 dias de operação antes de recarregar, esta autonomia cai dependendo do numero de vezes em que os Turbo-Propulsores são acionados a cada missão. Em caso de quedas ou de longas permanências durante as missões, um Viper padrão possui suprimentos de sobrevivência para 1 piloto por uma semana, além de um sistema criogênico de emergência, que mantém o piloto em animação suspensa por até duas semanas.

Os pilotos destes caças são denominados “Guerreiros Coloniais”, formados pela Academia de Cáprica, onde recebem ensinamentos de vôo e batalha, além de lições de vida e fundamentos de diplomacia e arte. Cada Battlestar possui de um a dois esquadrões e carregam consigo um símbolo próprio, representando o esquadrão, nave e o mundo pelo qual lutam. Estes símbolos estão ornamentados no topo de seus capacetes, que lembram uma máscara egípcia.

O VIPER VERSÃO RE-IMAGINED SERIES.

O Viper na nova versão da série (Battlestar Galáctica Miniseries, 2003 – Re-imagined Series, 2004) foi o primeiro da Série MK, desenvolvido a partir do protótipo MK 0 (Battlestar Galáctica – The Game, Playstation 2/Xbox).

Desenvolvido por Engenheiros de Caprica, este caça entrou em serviço no inicio das Guerras Cylon e é reconhecido publicamente como o pai de todos os Vipers existentes. Conhecido com a alcunha de Viper MK I, foi utilizado largamente contra os Cylon Raiders nos primeiros confrontos, servindo a bordo das Astronaves de Combate como força de Ataque/Defesa primaria. Durante a guerra, mostrou ser um caça extremamente ágil, mas de baixo poder de fogo. Posteriormente, recebeu novos aprimoramentos em seus sistemas de armas, sensores e na aerodinâmica, dando origem à versão MK II que se tornou um verdadeiro herói de guerra. O Viper MK I ainda continuaria em serviço após a guerra, porém com o surgimento dos Vipers MK II, foram substituídos e relegados a esquadrões de reserva. A maioria dos poucos caças ainda na ativa, sofreram reformas tão profundas que deram origem a mais um novo modelo: o Viper MK IV.

O Viper MK I foi descomissionado e desapareceu da Frota Colonial após o Holocausto. Pouquíssimos deles, os que não foram reformados para MK IV, podiam ser encontrados em posse de particulares e grupos militares independentes (e ilegais). Um único exemplar original poderia ser visto na Nave-Museu Galáctica, antes da queda das 12 Colonias.

Nome: VIPER
Série: Battlestar Galactica – The Original Series (TOS)
Modelo: Viper (MK I em RMD);
Conceito: Caça Espacial;
Classe: Interceptador Espacial (Cruzador);
Filiação: Frota Colonial
Dimensões: Comprimento – 9m, Largura – 6m, Altura – 4m;
Tipo de Tonelagem: Leve;
Peso: 14 tons
Tripulantes: 01 Piloto;

Atributos: FR +0, CON +2, DEX +0, AGI +3, INT -, WILL -, PER +1, CAR -;
Deslocamento*: 12 +AGI*;
Manobrabilidade: Espaço/Atmosférico [Bom].
Defesa Básica*: 11
PV: 10;
IP Inicial: 3;
Habilidades Especiais:
– Turbo * – Pode percorrer até o dobro do seu deslocamento permitido por turno;
– Vôo Maior – Possui a capacidade de entrar e sair de órbitas planetárias;
– Mecha Espacial – [Ótimo] Foi projetado e possui todos os equipamentos básicos necessários para permanência no espaço;
Armamento (4 slots):
– 2 Canhões Turbo-Lasers +2 [Bom] – Dano: 2d3+3, Alcance: 15;
– 2 Torpedos Solenite +1 [Bom] – Dano: 1d6+3, Alcance 20, Teleguiado;
Escala de Dano: x10 – PVs, danos e blindagem são multiplicados por 10 contra alvos de Escala x01 e x100.
Resfriadores: 15
Autonomia: 5 Dias.

*Observações:
– Regras Opcionais: A escala de deslocamento e alcance das armas para cada quadrado no ar é de 150m e no espaço 1.500m; O bônus de AGI pode ser somado ao Deslocamento. Seu valor de deslocamento aéreo é igual ao seu deslocamento no espaço, guardadas as devidas proporções e circunstancias.
– O Turbo pode ser acionado apenas para aproximação ou fuga, durante os combates. Uma nave que acionar o Turbo não pode atacar ou se defender até que toda a distancia seja percorrida. Atacantes que tentarem alvejar uma nave com Turbo, sofrem uma penalidade de -3 em suas Jogadas de Ataque. Cada vez que o Turbo é acionado, ele reduz em um dia a autonomia de operação da nave (não afeta Sistema Criogênico de Emergência). Ele pode ser acionado Bônus de CON vezes por combate.
– Para se obter a Defesa Final, deve-se somar a Defesa Básica ao bônus da perícia Pilotagem e dividir o resultado por 2.
– Existe uma versão para dois tripulantes. Esta versão possui os mesmos dados da versão de um tripulante. Para aventuras ambientadas na versão Galáctica 80, O Viper pode adquirir a Habilidade Especial: Invisibilidade, que funciona apenas quando este pousa na Terra.
– Se o Caça perder 1/3 de seus pontos de vida, os testes de pilotagem e ataque sofrerão uma penalidade de -1 e seu deslocamento será reduzido em 1/3. Se os pontos de Vida caírem pela metade, todos os testes sofrem um redutor de -3 e o deslocamento caíra pela metade. Todas as penalidades continuam valendo até que o caça seja reparado, levando 30 minutos para cada 2PVs recuperados.

Novas Habilidades para Maquinas

Mecha Espacial:
Custo: 2 Pontos
Referência: Mecha Espacial (Autonomia)
O Mecha (ou Máquina) foi projetado e possui todos os equipamentos básicos necessários para permanência no espaço, seja em curta ou longa duração.

Se o Mecha com esta habilidade possuir também a Habilidade Vôo, ele poderá descer e se locomover em planetas, mas não poderá sair delas (entrar em órbita) sem algum tipo de auxilio (propulsores, a bordo de outras naves, etc) ou a Habilidade Vôo Maior. Caso contrario, só poderá atuar exclusivamente em ambientes de gravidade zero. O Deslocamento de uma Maquina no espaço é igual ao seu valor de Deslocamento Terrestre ou de Vôo. Como Regra Opcional, O bônus de AGI pode ser somado ao Deslocamento.

A Autonomia do Mecha no Espaço, antes de reabastecer é igual ao bônus de Graduação + CON vezes o tempo relacionado ao Tipo de Tonelagem: Horas para Máquinas Super Leves, Dias para Máquinas Leves, Meses para Máquinas Médias, Anos para Máquinas Pesadas.

Observação: Aventuras que sejam ambientadas apenas no espaço, podem ignorar esta Habilidade, presumindo que todos os Mechas já a possuam. Para saber a velocidade exata da Maquina no Espaço, multiplique o Deslocamento pela escala de velocidade da aventura. EX: Cada Quadrado no espaço equivale a 1500m ou km/s. O mestre deve escolher qual melhor se aplica a sua aventura.

Sistema de Reconhecimento.
Custo: 2 pontos
Referência: Sistema de Reconhecimento
O Viper foi adaptado para cumprir missões de reconhecimento, tendo seus sensores e velocidade ampliados. O Viper ganha um Bônus de +1 na Agilidade e +1 na Percepção.

Sistema C.O.R.A.
Custo: 5 Pontos
Referência: Sistema C.O.R.A.
O caça recebe um novo dispositivo em seu computador de bordo, o Sistema C.O.R.A. – Computer Oral Response Activated. Este dispositivo confere um tipo de inteligência artificial, tornando-o capaz de guiar-se sozinho e interagir com o piloto, dando-lhe distração e um sentimento de companhia durante missões de reconhecimento de longas durações.

O caça recebe um Bônus de +1 na DEX, +1 na AGI, +1 na PER e um bônus de +1 na INT, podendo agora gastar pontos nos atributos INT, WILL e CAR, como se fosse um Mecha Senciente. Na pratica, o Viper se torna senciente, mas totalmente sob o comando do Piloto e não pode evoluir por si só, ou seja, não recebe Pontos de XP. A autonomia e os suprimentos também são duplicados. C.O.R.A. pode pilotar a si mesma com Pilotagem [Normal].

Por causa da inclusão destes equipamentos e para compensar a falta de espaço, o Viper perde 4 Slots de armas, ou seja, seus canhões lasers são desativados. O padrão de Voz de C.O.R.A. deve ser definido no momento em que a Habilidade é escolhida, o padrão comum é uma voz sensual feminina.

Recomenda-se utilizar esta Habilidade apenas em campanhas ambientadas no Universo T.O.S. Esta Habilidade não possui Graduação.

Agradecimentos e Fontes:

          Fanzine Star Fleet #06 – Luis Roberto M. Mundel & Alex Hosokawa Griman, pela base do texto.

          RPGQuest Mechas Netbook – André Mousinho & Ingo Muller. Pelas regras de Mechas para RPG Quest

          Battlestar Wikihttp://pt.wikipedia.org/wiki/Battlestar_Galactica.

          Battlestar Galactica D20 (Netbook/Não Oficial) – Bill Canavan, Sean Little, Mark T.Hrisho.

          Battlestar Galactica RPG (Oficial) – Jamie Chambers, James Davenport, Sean Everette, Patrick Kapera, Nathan Rockwood, Floyd C. Wesel – Margaret Weis Productions Ltd.

          Kitsune´s Home Page – http://www.kitsune.addr.com/

Até.

Adriano “Mágico” Cleber
mestremagico@gmail.com

Esta é uma adaptação livre e extra-oficial. Por nenhuma razão este trabalho foi desenvolvido buscando comprometer os direitos autorais de seus criadores e também não tem a intenção em ser uma obra definitiva. Este trabalho esta livre para ser alterado, de acordo com a preferência e permissão do Mestre.

RPQ QUEST é uma marca registrada da Daemon Editora.
Battlestar Galactica is copyright © Universal Pictures.
All rights reserved.